Pesquisar este blog

sexta-feira, março 10, 2017

quinta-feira, março 02, 2017

Envelhecendo

A vida está passando. Passa rápido.
As vezes, me espanto. Outras vezes, fico agradecida pela rapidez.
Já experimentei, quase todos, os tratamentos sociais.
Menina. Mocinha. Moça. Senhora.
É estranho a sociedade e sua sociabilidade.

Também já experimentei adversidades pela maldade humana.
Há humanos que se vestem de ovelhas.
Se comportam assim porque o animal é doce.
Todavia, não há nenhum animal que eu posso compará-lo.

Os animais, geralmente, são doceis para com a própria espécie.
Infelizmente, tive o desprazer de ter ao meu lado animais humanos.
Humanos que ainda não foram categorizados, simplesmente,
utilizam a designação raça humana para colocar suas garras entre outros.

Infelizmente, ainda não há antidoto para esse tal humano.
Hoje, mais velha, o antidoto que utilizo é minha sensibilidade.
Sensibilidade, que ainda, infelizmente, se engana.
Assim, vou caminhando.

Caminho na certeza que um dia morrerei.
É la no meu berço de morte.
Levarei comigo alegrias e tristezas, mas a certeza que
Poucos estarão presentes para chorar minha morte.

Porque são poucos os que são humanos o bastante
Para que eu posso compartilhar com eles minha vida.
Vida que busco a cada momento
Um momento de felicidade.

Aniversário de Elda

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Campo de concentração - Dachau - Munique













Essas fotos são retiradas pela Patrícia. A midiatização possibilita que visualizamos algo mesmo estando distante. Essa visualização nos remete as loucuras que o humano é capaz.

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

sexta-feira, janeiro 13, 2017

A vida contemporânea

É um vai e volta.
É um corre e corre.
É um tal falar alto.

Todos atores e atrizes,
Ninguém na plateia.
O importante é representar.

Representam o amor.
Representam a pobreza.
Representam a impunição.

A palavra da ordem é consumo.
Consumir do humano às novas tecnologias.
Essas que potencializa a racionalidade humana.


sábado, dezembro 31, 2016

Feliz Ano Novo

Gostaria de presentear tantos com a felicidade.
Àquela que todos sonham todos os dias.
Todavia, nem se eu tivesse todo os bens do mundo.
Não conseguiria essa façanha.
Como diz Drumond "que seus desejos te movam a felicidade".
Infelizmente, atualmente, nem todos os desejos levam a felicidade,
Os homens estão endurecidos em seus corações;
Esqueceram do amor do  criador.
Assim, o meu presente a todos e o ressurgir do amor ao criador.
Ao permitir esse  ressurgir;
Estaremos prontos para morrer e viver.
Feliz Ano Novo!

Christmas, Again


Christmas, Again é um filme que gostei bastante. Principalmente, como o personagem principal vive.
Triste, porque ele partiu sem dizer Adeus a quem poderia construir uma história junto.

Obrigado a quem me indicou!













sexta-feira, dezembro 30, 2016

Resumindo 2016

Conheci algumas pessoas interessantes e que fizeram diferença na minha vida. A primeira foi Olinda Ruiz que me introduziu um tema de pesquisa e me apresentou a Márcia Couto. Essa última,  abriu a porta para o pós-doutorado na FMUSP. A partir delas foi possível chegar à interseccionalidade. 
Conseguimos realizar duas publicações, resultado do doutorado. As duas publicações em revistas indexadas, revisadas por pares e com classificação B1 e A2. Isso é bom.
Acompanhei o desenvolvimento dos alunos na saúde coletiva em duas faculdades particulares. Infelizmente, ainda não consegui entrar em uma universidade não particular. Continuo na batalha.
Frequentei ao grupo de pesquisa, não assiduamente.  Estava e estou me ocupando de um outro objeto de estudo.

Congregar com alguns era um dos objetivos de 2016. Este objetivo foi alcançado, embora minha participação é tímida.

Consegui trazer alguns amigos que estavam longe para perto, ainda que, às vezes, eu os coloque longe de mim.

Bem, somente essas coisas posso tornar pública. Várias outras coisas sucederam, mas somente minhas memórias a beira leito pode saber.


Obrigada a todos os que fizeram parte da minha vida neste ano. Foi um ano bom. Um ano de pequenas conquistas. Considera que aos poucos consigo chegar na finalidade da existência.

O professor Clóvis de Barros diz que a finalidade da existência é a felicidade. É o existir para ser feliz em sintonia com o universo, considerando o pensamento grego. Levando em consideração esse raciocínio – estou cooperando para o universo caminhar em harmonia.