Pesquisar este blog

segunda-feira, março 12, 2018

Flores

Enfeitando o meu cantinho

quinta-feira, janeiro 18, 2018

segunda-feira, janeiro 08, 2018

Ilha do Cardoso


Árvore Gigante e eu!

Eu!

A Ilha do Cardoso é um lugar paradisíaco. Neste lugar as pessoas retornam a paz e desaceleram.
Estou aos poucos retomando as fotografias que tanto fizeram parte da minha vida. Depois colocarei mais fotos, porque ainda não as tenho. Tirei com a máquina de uma amiga. Deixo apenas um pouquinho de lá.

domingo, dezembro 31, 2017

Se despedindo de 2017! Muitas eus.



Eu envelhecendo








O meu cabelo é mutável...

sábado, dezembro 30, 2017

Para você

O beijo na cama, de Henri De Toulouse-Lautrec, 1892.


Você estrela da minha vida.
Brilhou é me iluminou;
Irradiou-me de felicidade.
Seus toques, sua voz, sua ternura - todos estão em mim.
Seguirá comigo por onde quer que eu vá.
Por mais que meus olhos não te vejam. Quando o fecho.
Cada momento é revivido.
 As risadas, os planos loucos estão lá na nuvem.
Um dia acontecerá. Reviverá.
Sua presença tímida me exalta.
Eu só posso dizer:
Eu te amo - Feliz Ano Novo.


Último sábado de 2017

Choveu o tempo todo. 
A chuva limpava nossos telhados.
Levou para os rios as sujeiras que fizemos no ar.
Resumir um ano é o mesmo que fechar um capítulo da tese. 
Dependendo do objetivo os capítulos vão sendo escritos. 
O meu objeto é trazer Jesus e o seu amor. Então, é uma longa jornada.

quarta-feira, dezembro 27, 2017

Lembrancinhas do Natal


Nós


Nós

O chupeta
Então foi Natal. A família desse ano foi pequena, apenas nós.
Faltaram tantos. Tantos que amamos, mas se foram. Mas a lembrança ficou. Ainda, temos nós. O nós que se une para cumprir o nome de família. Os que já passaram por aqui, sabe o quanto deixou de saudades.

sábado, dezembro 23, 2017

Contagem regressiva para 2018

O ano está findando.
Cá estamos novamente soltando fogos.
Cá estamos desejando Feliz Festas.

O tempo  parece que encurtou. Os cientistas dizem que não.
É apenas mais curto para os apressados.

Ano passado fiz alguns planos que consegui alcança-los. Outros parecem que estão gestando desde quando nasci. Eu sou persistente, não desisto. A única coisa que poderá me fazer desistir é a morte.

Eu continuo acreditando que um dia o Brasil vai ficar melhor. O povo será mais educado.
Continuo acreditando no Amor, embora tenha um coração que sempre me trai.

Continuo escrevendo no blog, sem se importar com quem venha ler.
Acredito que o melhor de nós é dado a nós mesmos. "Estranho" mas real.

Tudo isso para desejar aos passantes.


FELIZ FESTAS


Que venha 2018 e muitos papers para serem publicados... 

Pós-graduação

Fazer pós-graduação é um momento difícil. A folha publicou a reportagem no link abaixo  sobre os problemas enfrentados pelos orientandos. Alguns chegam a suicidar-se. Veja

http://m.folha.uol.com.br/ciencia/2017/12/1943862-estudantes-de-mestrado-e-doutorado-relatam-suas-dores-na-pos-graduacao.shtml?utm_source=facebook.com&utm_medium=social&utm_campaign=fb-uol&utm_content=geral

DEPOIMENTO
Quando  estava fazendo doutorado, várias coisas aconteceram na minha vida. Entre essas coisas, o que mais causou sofrimento foi  descobrir o câncer de pâncreas da Julia (minha mãe). Após três meses da descoberta ela dormiu para sempre.  Eu me lembro de estar traduzindo textos e chorando. Lendo chorando. Deprimi total.   Foram momentos de muita dor. Algumas pessoas que estavam ao meu lado não entenderam. Eles achavam que eu apenas ficava triste e me tornado briguenta. Os "ensimesmadxs" não entenderam que fazer o doutorado e ver a mãe morrendo é uma dor insuportável. 

Além disso, estava estudando um novo objeto. Sofria para entender. Tinha pressão de todo lado. Quando finalizei o doutorado. Olhei no espelho -  havia envelhecido e com poucas pessoas ao meu redor. Muitos haviam partido. Eu chorei, mas valeu a pena. 
Vale sofrer pela causa que acreditamos.

Caso você esteja ao lado de um doutorando, mestrando entende-o. É um momento difícil demais.