Pesquisar este blog

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Conversas!

Farta das conversas dos que não possuem os fatos!

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Berço do Natal

Brilha a estrela no céu

Ao lado, sem nada, gelado.

Aqueçe o leito, ignorado

Surge! Pinheirinho de natal.


As ovelhas cantam, se encantam

Lançam lã ao leito secreto

Em toda Belém soam sinos

Veio a luz do Mundo.


No pinheirinho os Presentes

Doados dourados; Real

Balsamo de Alegria

Festa de Natal.


Natal

terça-feira, outubro 20, 2009

Mãos dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.
(“Mãos dadas”, Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, outubro 12, 2009

Sem inspiração


Candido Portinari

quarta-feira, setembro 23, 2009

A instabilidade das cousas do mundo

Gregorio de Matos

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.

quinta-feira, setembro 17, 2009

Arroz nos noivos está proibido

Em um município de Vercelli, Saluggia (região do Piemonte) foi proibido jogar arroz aos noivos, segundo determinação do prefeito Marco Pasteris, que sugere como alternativa pétalas de rosa. "O arroz é um elemento nobre, indispensável na alimentação, e em um momento de crise econômica generalizada, como o atual, e pensando nas populações que para sobreviver só dispõem de um punhado de arroz diário, este costume é um desperdício".

Fonte:
http://comunitaitaliana.com/site/index.php?option=com_content&task=view&id=9154&Itemid=94

quarta-feira, setembro 16, 2009

quinta-feira, setembro 10, 2009

O futuro

.
O meu futuro precisa ser compartilhado,
ou não será o Meu Futuro.
!

domingo, setembro 06, 2009

Perfil



Achei a foto na internete gostei da imagem.
Ieda e Eu falando a respeito do prêmio Carlos Gomes onde fomos prestigiar algumas pessoas.

terça-feira, setembro 01, 2009

Solidão na terra. Festa no céu

Um anjo novo chegou ao céu
Todos os outros se levantam e anunciam
Chegou! Chegou mais um escolhido
No céu uma festa
Cantam! Oferecem um novo nome
Festejam
Na terra. Choramos!
Não desejamos a partida...
Tão sozinha partida!

sábado, agosto 29, 2009

Perfil


Bonita moça
Bom fotografo
Boa irmã

Narciso

Michelangelo Merisi da Caravaggio

terça-feira, agosto 04, 2009

Viver

A vida é uma busca incessante da sobrevivência.
Os mais fracos aos mais fortes, os mais pobres aos ricos,
Os famintos o alimento.

Todos buscando satisfação momentânea, incompleta.
Em meio a tudo isso, buscamos o outro
A quem possamos estar juntos.

Somente assim nos descobrimos, e declaramos
Eu amo você.

domingo, agosto 02, 2009

Autobiografia

Henri Matisse

Como se descrever!
Não sei o que sou nem como sou
Eu sei que vivo e amo.

Sou aquela que chora e te vê sorrir
Que se inclina para que tu te ergas
Aquela que cedeu ao ver-te amar

Sou a que aprendeu com as verdades
Aquela que descobriu a liberdade
A insubmissa do Amor.

Busco as verdades ocultas
Verdades temidas e incertas
Pouco conhecida dos homens.

Busco interesses escondidos
Procuro os discriminados
Atribuo valor aos desconhecidos.

Tenho a liberdade de perder
A dor e o medo caminham ao lado
Não escondo minhas lágrimas.

Cumpro alguns Regimes
Dos amantes racionais
Que segredam sonhos.

Sou amada
Sonhadora realista
Que possui um ideal...

Sou mulher!
LaluSol

sexta-feira, julho 31, 2009

Aprecie com moderação












Marco Augusto até parece ontem era um menino; hoje cresceu. Aos nossos olhos contínua menino.

quarta-feira, julho 29, 2009

The first time

Lindo! Simplesmente linda
A poesia e a voz!

Cântico III

Wassily Kandinsky

Meu amor!
Como é linda a tua face.
O teu olhar incendeia-me
Suas pérolas enfeitam tua boca
O teu sorriso clareia a noite
A sua voz levanta o Sol.
Os seus cabelos retomam Kandinsky.
Ah! Quem me dera fosse adorno
Seria uma Aliança.

.

terça-feira, julho 28, 2009

Cântico I e II

.Eu sou a rosa
Apanhai-me; assopra-me
Para que os meus aromas destilem
Leva-me. Desejo a sombra.
Abre-me. Gotejo doce aroma
Deixe-me sentir as tuas mãos
Exale o meu perfume
Beije-me. Sustentai-me com seus beijos
Sustentarei com meus aromas.



Acordai-me!
Despertai-me todas as manhãs.
Mostra-me a tua face
Beije-me doce ao paladar
Abraça-me com suas mãos.
Faze-me ouvir a tua voz
Enleves o Amor.
Levanta-me a gotejar aromas
Despi-me aos seus pés.

.

Rascunho

.
Quando não penso em nada minha mão rabisca nomes; as vezes tolos!
.

Shooting Star‏

I wished...
...and then you just walked in to my dreams, step by step...
Just like I wished...
Fear of being to close or real.
In fact, you were a few steps away
From my heart...
Just like I wished...
Oh! How I wanted to sing
songs never heard before.
Just for you.
How I wished...
And in a few steps a way
from my heart...
You just walked through...
Oh!! How I wished...

segunda-feira, julho 27, 2009

Tocar

Todo cuidado é pouco
ao tocarmos um pré-termo!



sexta-feira, julho 24, 2009

Bem-vindo (2009) - FILME

O filme traz dois temas importantes a proibição de entrar em outros países e dois grandes amores impossíveis. Que pena que vivemos em um mundo onde não temos livre acesso a ele.

quinta-feira, julho 23, 2009

quinta-feira, julho 16, 2009

Flechinha do cupido













Vamos fazer a roda, vamos dançar
Menino fora menina dentro
Gira como relógio para dançar
Todos girando pra fora e dentro.

Agora em pares para começar
Meninas com mesuras ao centro
Lança a flechinha para alcançar
Menino sem coração dentro.

Flechinha certa; menino certo
Coração feito menina dentro
De mãos dadas vão namorarem.

Menino com coração aberto
Menina ocupa o centro
Sutura feita menina dentro.
.

segunda-feira, julho 13, 2009

Escolha

.
Homens
Quem fez a arte?
Criador ou Anjo.
.
.
Aonde quer que eu vá,
eu descubro que um poeta
esteve lá antes de mim

S. Freud
.

O beijo


Que todos artistas
Em todas as artes
Expressem a singularidade de Beijar!
.
Que os humanos
Em todos os beijos
Faça-os como arte!




sábado, julho 11, 2009

RETIRANTES


"Quanta coisa eu contaria se pudesse e se soubesse ao menos a língua, como a cor"
.
Candido Portinari
***

Parte de mim - Nós


Aprecie com Moderação

sexta-feira, julho 10, 2009

MENINA E MOÇA

Está naquela idade inquieta e duvidosa,
Que não é dia claro e é já o alvorecer;
Entreaberto botão, entrefechada rosa,
Um pouco de menina e um pouco de mulher.

Às vezes recatada, outras estouvadinha,
Casa no mesmo gesto a loucura e o pudor;
Tem coisas de criança e modos de mocinha,
Estuda o catecismo e lê versos de amor.

Outras vezes valsando, o seio lhe palpita,
De cansaço talvez, talvez de comoção.
Quando a boca vermelha os lábios abre e agita,
Não sei se pede um beijo ou faz uma oração.

Outras vezes beijando a boneca enfeitada,
Olha furtivamente o primo que sorri;
E se corre parece, à brisa enamorada,
Abrir asas de um anjo e tranças de uma huri.

Quando a sala atravessa, é raro que não lance
Os olhos para o espelho; é raro que ao deitar
Não leia, um quarto de hora, as folhas de um romance
Em que a dama conjugue o eterno verbo amar.

Tem na alcova em que dorme, e descansa de dia,
A cama da boneca ao pé do toucador;
Quando sonha, repete, em santa companhia,
Os livros do colégio e o nome de um doutor.

Alegra-se em ouvindo os compassos da orquestra;
E quando entra num baile, é já dama do tom;
Compensa-lhe a modista os enfados da mestra;
Tem respeito a Geslin, mas adora a Dazon.

Dos cuidados da vida o mais tristonho e acerbo
Para ela é o estudo, excetuando talvez
A lição de sintaxe em que combina o verbo
To love, mas sorrindo ao professor de inglês.

Quantas vezes, porém, fitando o olhar no espaço,
Parece acompanhar uma etérea visão;
Quantas cruzando ao seio o delicado braço
Comprime as pulsações do inquieto coração!

Ah! se nesse momento, alucinado, fores
Cair-lhe aos pés, confiar-lhe uma esperança vã,
Hás de vê-la zombar dos teus tristes amores,
Rir da tua aventura e contá-la à mamã.

É que esta criatura, adorável, divina,
Nem se pode explicar, nem se pode entender:
Procura-se a mulher e encontra-se a menina,
Quer-se ver a menina e encontra-se a mulher!

MACHADO DE ASSIS

quinta-feira, julho 09, 2009

Versos do nosso Amor






O nosso amor é paciente
Às vezes compulsivo
Tendo vida própria.
O amor por si só é compulsivo.
Quer ter o desejo realizado
Quer fundir-se no outro
É um tanto inconseqüente.
Disciplino-o com a paciência
Dou a ele lápis e caneta
Oriento-o escrever seus desejos
Suas pulsões incontroláveis.

Então, ele centra-se no que é
Calmo, aguarda o amante
Atira-se aos sonhos coloridos
Passeia pelas esculturas de Rodin
Colocando-se junto de você.
Esse amor silencioso
É a própria escultura analisada
Às vezes despercebida pelos povos
As cores do nosso amor se combinam
Formamos um todo mesclado
Muitos querem saborear!
...

Pulsão


Não tenho mais forças
Meu corpo se derrama ao chão
Restam apenas às pétalas
Das nossas rosas vermelhas.

Meu coração desacelera
Um golpe de ar forte
Invade minhas narinas
Com ele o seu perfume.

As válvulas de meu corpo
Retomam as funções
Todo meu corpo pulsa
Em vermelha rosa ao chão.

Já transformada
Toda razão me permanece
Sou seu jardim!
Banhada pelo rio do Amor.

Refeita em rosas
Singelo símbolo do Amor
Da vida, da morte
A sua rosa vermelha.

****

Silêncio

Diante de tudo isso
Vejo a minha frente o horizonte
E um silêncio invade meu ser!
.
Espero respostas do próprio silêncio
Que talvez saiba a palavra exata
De tudo o que temos a frente!
******

quarta-feira, julho 08, 2009

VISIO

...
Depois, naquele delírio,
Suave, doce martírio
De pouquíssimos instantes
Os teus lábios sequiosos,
Frios, trêmulos, trocavam
Os beijos mais delirantes,
E no supremo dos gozos
Ante os anjos se casavam
Nossas almas palpitantes...
Depois... depois a verdade,
A fria realidade,
A solidão, a tristeza;
Daquele sonho desperto,
Olhei... silêncio de morte
Respirava a natureza, —
Era a terra, era o deserto,
Fora-se o doce transporte,
Restava a fria certeza.
Desfizera-se a mentira:
Tudo aos meus olhos fugira,
Tu e o teu olhar ardente,
Lábios trêmulos e frios,
O abraço longo e apertado,
O beijo doce e veemente;
Restavam meus desvarios,
E o incessante cuidado,
E a fantasia doente.
...
Machado de Assis

terça-feira, julho 07, 2009

Michael Jackson


Adeus ao ídolo!

Ações no mundo

Mundo! Pequenas ações lhe desenham

Os homens não são desenhistas nem pintores

São homens com canetas na mão prescrevendo de tudo
.
Elda Oliveira

domingo, julho 05, 2009

A mão de Deus



The Hand of God, modeled ca. 1896

Auguste Rodin (French, 1840–1917)
Marble

sexta-feira, julho 03, 2009

quarta-feira, julho 01, 2009

Livros e flores

Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
.
A página do amor?
Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor,
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?
Machado de Assis

domingo, junho 28, 2009

Valsa com Bashir


Vals Im Bashir, Waltz with Bashir
Diretor: Ari Folman
Gênero: Animação, Documentário
Em uma noite num bar, um velho amigo conta ao diretor Ari Folman sobre um sonho que tem repetidamente no qual ele é perseguido por 26 cães ferozes. Toda noite o mesmo número de feras. Os dois homens concluem que existe uma ligação entre o sonho e sua missão no exército de Israel na primeira Guerra no Líbano no início dos anos oitenta. Ari Folman se surpreende por não conseguir lembrar de mais nada sobre aquele período de sua vida. Intrigado por esse mistério, ele decide encontrar e entrevistar seus velhos amigos e companheiros espalhados pelo mundo. Documentário em animação.
Vale a pena assistir leva-nos a refletir nossas atitudes no mundo.

Tinha que ser você


Last Chance Harvey
Diretor: Joel Hopkins
Elenco: Dustin Hoffman, Emma Thompson, Kathy Baker, Liane Balaban, Richard Schiff
O filme trata as relações interpessoais. Uma jovem vai se casar e tem os país separados. Seu pai do ponto de vista de sua mãe é um fracassado. Ao ir ao casamento da filha o homem conhece uma mulher também frustradas nos relacionamentos amorosos. O filme traz a luz o que temos escondido dentro de casa.

terça-feira, junho 23, 2009

Tempo passando




Olha eu há um bom tempo atrás!

segunda-feira, junho 22, 2009

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."

Clarice Lispector

domingo, junho 21, 2009

Montagens

Observando

sábado, junho 20, 2009

Tentativas

Quem saberá responder o que é justo?

Quem manda nos desejos do coração?

Que homem possui a chave do próprio desejo?

Quem tem a verdadeira resposta?

??

domingo, junho 14, 2009

O encontro

O ambiente proporciona-nos tons e cores
Nossos corpos formas e aromas
Buscamos nossas individualidades
Formamos o nosso todo sensorial
Fixa-se um momento único.

Exploramos nossas novidades
Busco e sou buscada nos detalhes
O tom de sua voz brilha
Na mais invisível forma
Emaranham-se turbilhão de estímulos

A razão nos é desconhecida
Somos agraciados pela arte
Compartilhamos nossas intuições
No desenrolar dos atos
Algo novo se forma.

Lançamo-nos ao próximo passo
Entramos no imaginário criativo
Sem controle buscamos similitude
Estacionamos nossos olhares
Somos levados além dos olhos.

Indissolúveis no momento
Abrimos novos espaços às vivências
Transitamos em territórios inovados
Escapamos aos parcos limites
Apreendemos o que escapa aos olhos e foge dos sentidos.
****************

Amadeo Modigliani

Vamos ouvir esse som?
Quero ouvir você

sábado, junho 13, 2009

Experiência

Vamos construir um projeto
Todo entorno serve-nos de possibilidades
Adentremos nessa imensidão
Entre você e eu nossas experiências
Entremos nesse ambiente
Vejamos o que se passa conosco.

Nós Dois

E nós que nem sabemos quanto nos queremos
Que nem sabemos tudo que queremos
Como é difícil o desejo de amar
Amar é mais fácil que desejar
Você que nem me soube quanto eu quis
Que não coube, não me viu raiz
Nascendo, crescendo nos terrenos seus
O segredo do Amor é o silêncio
Eu da janela olhando a lua, perguntando a lua
Onde você foi amar?
As respostas do amor a lua não dirá
E nós que nem soubemos nos querer de vez
Estamos sós, laçados em dois nós
Um que é meu beijo o outro é o lábio seu
A lua permite o Amor
Não sei sair cantando sem contar você
Que eu sei cantar, mas conto com você
Que eu vou seguir, mas vou seguir você
O caminho a lua nos dirá
Queria que assim sabendo se a gente se quer
Queria me rimar no seu colo mulher
Vencer a vida donde ela vier
A lua é o silêncio intensifica o querer
Ganhar seu
Chegar no chegar meu
Dar de mim o homem que é seu
Sabemos nos rimar porque nós queremos

sexta-feira, junho 12, 2009

Ricerca


Cerca questi piedi.
Qualcuno sa dove trovarlo?

Dia dos Namorados


Inventado para o Amor
Aguardar o par.
No encontro
Outros desencontros.
Multidão desencontrada.
Às pressas no trânsito
Escreves seus dizeres
Dos dizeres de Fernando.


***

quinta-feira, junho 11, 2009

12 de junho

Dia dos namorados
As outras muitas
Choram muito
.

terça-feira, junho 09, 2009

Ensimesmada















.
Refletindo o dia

Nas conversas indesejadas

Nos desagradáveis

Nos indesejados

.

quarta-feira, junho 03, 2009

Amar é sofrer

Essa é uma frase popular. Como todas as frases vêm do senso comum gastei um tempo refletindo nessa afirmação. A primeira pessoa que soltou a frase estaria em um momento de sofrimento; e ao pensar no sofrimento chamou-o de Amor. Posso concordar ou discordar da frase, sendo namorada do AMOR discordo.
Amar é um sentimento tão nobre que a dor se dissipa. Alguns chamam de AMOR sentimentos segredados no coração; tais sentimentos acarretam sofrimento pelo fato do Homem (aqui sem considerar o gênero) não ter a posse do outro. O amor é leve, prazeroso, verdadeiro, partilhado e entendedor, poderia discorrer uma lista de adjetivos e substantivos para enaltecer o AMOR. Pelo amor podemos até sofrer ao percebemos o sofrimento da pessoa amada; e ao sofrermos por seus problemas podemos afirmar que esse sentimento é apenas uma vesícula do amor. Concluo então que o AMOR é leve como o beijar do beija flor.
Convido a todos observarem o beija-flor ao tocar suas flores.

.

terça-feira, junho 02, 2009

Junho - Mês do AMOR

O AMOR
Este é o mês dos namorados. Como tudo na vida tem o seu dia OS NAMORADOS não poderiam fugir. Essa coisa de “o dia da/dos/de” me incomoda um pouco fico refletindo o que na verdade iremos comemorar. Percebo que faltam alguns dias nos calendários já que tudo tem o seu dia; exemplo: “Dia das viúvas; das solteiras, das divorciadas, das amantes, e assim sucessivamente”. Seria uma coisa de louco! Por gostar da poesia e preferencialmente aquelas que enaltecem o AMOR esse será meu tema do mês.

O amor é um sentimento dinâmico e, como tal, requer sempre novidade.
.

segunda-feira, junho 01, 2009

Mês dos namorados

Em Junho, mês dos namorados, o ISTITUTO ITALIANO DE CULTURA traz três comédias românticas em forma de ópera cujos argumentos envolvem casais trocados, um dos expedientes mais utilizados na ópera bufa italiana. Mas o final é sempre feliz, com os verdadeiros namorados reunidos para celebrar o triunfo do amor.

I - L'OCCASIONE FA IL LADRO ossia IL CAMBIO DELLA VALIGIA
Gioachino Rossini
.
II - L'ITALIANA IN ALGERI
Gioachino Rossini
.
III - DON PASQUALE
Gaetano Donizetti
.
LOCAL: ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA
- Avenida Higienópolis, 436 - Tel: 3660-8888
.

domingo, maio 24, 2009

Ensimesmada



Depois do banho...

Solicito ao Criador

.
"Traga-me homens que ainda tenha um resquicio de seu amor"
....

Nos dois

Não consigo escrever de nos dois
As palavras estão fugindo de vir
Estão assustadas em exprimir
O significado de nos dois

Busco as palavras dos lençóis
Sussurradas buscando traduzir
O prazer de possuir
O conjunto que forma nos dois

Palavras tomadas aos anzóis
Do silêncio dos nossos lençóis
Passeios da nossa união

Os adjetivos teimam em partir
As formas buscam distinguir
Os verbos da nossa união.

.

Olhos vermelhos


Olhos vermelhos reflexo das rosas
Fios entrelaçados do Amor
Barreira sentimento

sábado, maio 23, 2009

Vamos abrir as cortinas

.
Trago comigo o meu cenário
A vida se apresenta


Teatro

.Atriz, ator, cenário perfeitos
Aplausos as representações
Vivencias firmada por papeis primários
No fantoche não sei quem é você
Quem são os outros.
...
Retiro-me do teatro
No palco aberrações consumadas
Mímicas sem conto de fadas.
Prefiro cenas livres a estética
O criador tem outros cenários.
.

segunda-feira, maio 18, 2009

PROPOSTA

Desejo fazer-te uma proposta
Que de modo nenhum será indecorosa

Vamos sempre nos corresponder
Tu me contas o que em ti se passa
E eu relato o que me acontecer

E ficamos para sempre unidos
Assim como o espinho e a rosa

Seremos quase o mesmo ser
Guardaremos a sete chaves
Os nossos segredos
Os nossos enredos
E até os nossos medos

Contando sempre
Um com o outro
E ouvirei sempre
O que disseres
Somente a mim
Sem abrir para ninguém
Farei assim
Se tu quiseres

E seremos cúmplices diferentes
Pois além de sermos réus confessos

Ao mesmo tempo seremos inocentes!

Lourdes Ramos

domingo, maio 10, 2009

A Julia


União Conjugal

Criou Deus o Homem
Do homem fez a mulher
A sua imagem e semelhança
Separados em dois sexos

Surge no Criador
O desejo de reaproximá-los
Instala no coração do homem
O desejo da conjugação

Face a face um do outro
Em presença de outro ele
Relembra o que se é
Nessa nova unidade

Diante do criador
Fragmentos um do outro
Juram perpétua união
Da arte de estar juntos.


.

domingo, abril 26, 2009

Fecho meus olhos

*******
Em dias solitários
Sonhos vêm e vão
Pensamentos vêm e vão
Sentimentos surgem e somem
Lágrimas vêm e não escorrem
Dias em que ele sabia o que dizer...
**********

A realidade

Vivi a ilusão de que a vida
Fosse um conto de fadas

Com pontos de realidade.
Demorei a acreditar que a vida
É real
com pontos de conto de fadas.


LaluSol
.

Viver

.
A vida é para ser vivida não para ser sofrida!
.
LaluSol

quarta-feira, abril 22, 2009

Já se foi dito

“A assiduidade do apaixonado incomoda”
Os romancistas para não serem assíduos; resolveram escrever. Vem Pessoa e nos diz:
“Todas as cartas de amor são ridículas”
Mas... Quem nunca escreveu uma carta de amor?
A CLARO; a VIVO; a TIM investem forte nos romancistas.
Oferecendo descontos nos Poetrix.
Os receptores muitas vezes não lêem.
Aos romancistas não importa deixaram a assiduidade.
.

segunda-feira, abril 20, 2009

Três pontinhos

Um pontinho ponto final.
Dois pontinhos afirmam:
Três pontinhos...
Traz-me confusão...

Sumiu
Desapareceu
Morreu!
Eu

quarta-feira, abril 15, 2009

Silêncio

Pessoal!
Agora terei que me calar.
Terei que me dedicar assim...
A outros projetos...
Projetos que me renderão...
Certificados

terça-feira, abril 14, 2009

Eclipse

Ele e eu na mesma noite,
Sonhamos!
Tivemos o mesmo sonho.

Sol Lua
Uma fieira de Amarelo
Anéis.

Víamos
Guerra do Amarelo
Amarelando.

Silêncio...
Últimos fatos
Ele e eu sonhando.


.

domingo, abril 12, 2009

Chocolate

Devagarzinho...
Mostra em sua boca
Muitos talentos.

Saboreia o talento
Na ponta da língua
No céu de sua boca.

Quando abre a boca
Dá água na boca

De tanto Talento.

sábado, abril 11, 2009

OS ESCOLHIDOS

Ainda que
Vivêssemos duas vezes mil anos
Nós lavemos com ricos ungüentos
Entregássemos aos prazeres
Adornássemos de pérolas
Oferecessem-nos uma casa cheia de ouro
Recebêssemos todos os bens terrestres
Estivéssemos entre os mais poderosos
Chamássemos de Rei ou Rainha
Tivéssemos todas as nações
Em mãos todas as moedas
Tenhais-vos deitado em cama de ouro
Ainda há razões por nosso adereço

Arco das nuvens

Ainda que
Conhecêssemos todo universo
Tivéssemos o princípio de toda sabedoria
Conhecêssemos os segredos da sabedoria
Tivéssemos toda a sabedoria
Não cometêssemos injustiça
Vossa altivez suba até ao céu
Vossa cabeça chegue até as nuvens
Aniquilásseis toda inteligência
Acreditásseis nas palavras
Façam alianças com vossas palavras
Estimes seu coração como se fora o coração de Deus
Não há HOMEM a sentar em sua cadeira

Ainda que
Cometessem mentiras a riscos de nossas vidas
Com lágrimas confessemos
Gritem-nos aos ouvidos com grande voz
Ofereçam-nos por sacrifício
Crucifiquem-nos pelo credo
Nossos dias não se cumpram
Negásseis
Corrompêsseis
Escandalizásseis
Clamásseis nossa destruição
Se gloriem de seus poderes

Vós encurvareis as nossas cabeças
Diante do SOL.

Ainda que
Roubem nossas heranças
Distribuíssemos todos os nossos bens
As flores não floresçam
As arvores não de seus frutos
Nossos gados sejam mortos
Passássemos cinco anos de fome
Morrêssemos no deserto com oitenta e cinco anos
Lambêssemos água do rego
Escravizásseis por sete anos
Aumentásseis o nosso jugo
Julgásseis sem causa
Na cidade adereçada não recordaremos.

Vós! Recordarão.

Ainda que
O mal seja doce em vossas bocas
Nunca víssemos o sol
Tenhamos sede
Entrelacem-nos com espinhos
Enchêssemo-nos de pestes
Andássemos no vale da morte
Gritássemos por socorro sem escuta
Ficássemos pó e cinza
Arrancásseis nosso ventre
Arrancásseis nossos filhos do ventre
Consumísseis nossa pele
Cortásseis nossas pernas
Quisésseis o nosso sangue
A arca contém a aliança da vida e da morte


Ainda que
Viesse multidão de inimigos
Destruísseis nossa casa
Espalhássemo-nos pelas terras
Morássemos em terras secas
Andássemos pelo fogo
Sentíssemos contínua dor
A terra caia sobre nós
Metade de nós morra
Aqui todos morram
Matásseis nossos sábios

Matásseis nossas crianças
Cobrísseis com sombra da morte
Cavem até o inferno nossa cova

Se vivermos, para Ele vivemos;
Se morremos, para Ele morremos.

Ainda que
Exército nos cercasse
Venha uma multidão como areia do mar
Guerra se levantasse contra nós
Fugíssemos das armas de fogo
Seja necessário todos morrermos
Viésseis todos os valentes contra nos
Fizésseis de milagres perante nos
A terra trema e se mude
Os montes se transportem
As águas rujam
Se levantem ondas gigantes
O mar se revolta contra nós
Que tudo não vos bastásseis
Ainda há razões a favor dEle.


Morrer em ...

Solilóquios; angustiava gritavaM
..Ultimas palavras em choro
.. Íntimos desejos a ocultar
.Confissões dos segredos por suspirar
......Inicio da ação na mente
......Das muitas maneiras por encontrar
....Impulsos pela firmeza da atitude
.....O ato de morrer em
............................S Ui c
.............................Id
................................I
......................ooooOOOOOOoooooo...........

domingo, abril 05, 2009

Se eu ...

Se eu cantasse, cantaria um soneto a você

Se eu tocasse, tocaria Bach pra você


Se eu dançasse, dançaria Tango com você

Se eu desenhasse, desenharia o teu sorriso

Se eu pintasse, pintaria nossa união

Se eu tecesse, teceria nossos pertences

Se eu contasse, contaria nossos contos

Se eu endoidasse, endoidaria por tua voz

Se eu mentisse, mentiria meu querer

Se eu escrevesse, escreveria Poemas de nós dois

Se eu...

.

Menina Linda

Gosto quando me chamas de menina,
Retorno no tempo quando brincava de
Amarelinha, esconde-esconde, estátua,
Cobra cega, balança caixão, casinha.

Gosto quando me chamas de menina,
Resgato a menina que trouxe,
As brigas pelas bonecas.
A insistência em ser a mamãe.

Gosto quando me chamas de menina,
Lembro do país das maravilhas,
Das colagens multicores de letrinhas,
Formando versos de menina.

Gosto quando me chamas de menina,
Retomo as palavras novas,
Soletradas lentamente a professora,
Corrigidas pelos mais velhos.

Gosto quando me chamas de menina,
Recorda-me a felicidade de sustentar-me sobre a água;
A disputa nas corridas de rua,
Por uma medalha de latão.

Gosto quando me chamas de menina linda,
O tempo presente volta ao passado,
Ordeno o presente baseada no passado,
Vivendo assim feliz; como uma menina linda.
.

sábado, abril 04, 2009

Os versos

Os versos nascem dos poetas,
Na plenitude do silêncio.
Pronuncias dita do silêncio,
Transcrevendo o ser Poetas.

Retoma versos das gavetas,
Esquecidos por negócio.
Folhas amareladas do silêncio;
Da corrida as moedas. Quietas.

Abre a gaveta trancada;
Observa a marca deixada,
Completa os versos lentamente.

Busca palavrinhas de perto,
Nascendo os versos liberto;
Das folhas rasgadas na mente.
.

Quereres

O que queres; não sabes ao certo
O que quero; não sei ao certo
Não sabemos o que queremos.

Sabemos que nos queremos
Mesmo sem querer
Sabemos nos querer.

O querer está em nós
Não queremos nos querer
Mesmo nos querendo.

Sabemos o que queremos
Queremos nos querer
Inclinamos aos quereres.

.

Laços com nós

.
Assegure as fitas ao desfazer os nós
.

sexta-feira, abril 03, 2009

Elogio da Distância

Na fonte dos teus olhos
vivem os fios dos pescadores do lago da loucura.

Na fonte dos teus olhos
o mar cumpre a sua promessa.

Aqui, coração
que andou entre os homens, arranco
do corpo as vestes e o brilho de uma jura:

Mais negro no negro, estou mais nu.
Só quando sou falso sou fiel.
Sou tu quando sou eu.

Na fonte dos teus olhos
ando à deriva sonhando o rapto.

Um fio apanhou um fio:
separamo-nos enlaçados.

Na fonte dos teus olhos
um enforcado estrangula o baraço.


Paul Celan, in "Papoila e Memória"

Hoje conheci o poeta; lindos escritos. Fala sobre a loucura em massa; se assim posso dizer.
.

quinta-feira, abril 02, 2009

Está é uma manhã para ser feliz

Está é uma manhã para se ser feliz
em algum lugar, de algum modo,
é uma manhã para se ser feliz...

Esta é uma manhã para dois,
para dois juntos abraçados e tontos, num remoinho,
não como nós, eu aqui, diante do sol, das árvores, de tudo,
envergonhado porque estou sozinho...

Esta é uma manhã que me fala de ti,
nas nuvens,na transparência do ar,
neste azul do céu, imaculado, na beleza das coisas
tocadas de sonho e imaterialidade...

Uma manhã de festa para se ser feliz de verdade!
Esta é uma manhã para te ter ao meu lado...
Quando Deus fez uma manhã como esta
estavacom certeza apaixonado...

JC Araujo Jorge
.

domingo, março 29, 2009

Marasmo

Meus lábios balbuciam;
Meu coração acelera;
Minha mente gira!
.
Não estou embriaga;
Não tomei bebida forte;
Estou no delírio da paixão.
.

Na mão de Deus

Na mão de Deus, na sua mão direita,
Descansou afinal meu coração.
Do palácio encantado da Ilusão
Desci a passo e passo a escada estreita.

Como as flores mortais, com que se enfeita
A ignorância infantil, despôjo vão,
Depus do Ideal e da Paixão
A forma transitória e imperfeita.

Como criança, em lôbrega jornada,
Que a mãe leva ao colo agasalhada
E atravessa, sorrindo vagamente,

Selvas, mares, areias do deserto...
Dorme o teu sono, coração liberto,
Dorme na mão de Deus eternamente!

Antero de Quental

sábado, março 28, 2009

Parque da Luz - outono






Anderson e eu fizemos um passeio no parque da luz em seguida fomos na casa da língua portuguêsa. Foi um domingo agradável. Compartilhamos muitos assuntos.

sexta-feira, março 27, 2009

Presentes de NATAL

BLEM BLEM BELÉM!
Hora de abrir os presentes
Tem presentes a todos
Não precisa empurrões
Ao pegar seu pacotinho
Seu presente ai está.

BLEM BLEM BELEM
Hora da acreditação
Não precisa ter pressa
Observe os papeis e laços
Sinta o seu presente
Realize seus pedidos.

BLEM BLEM BELÉM
Hora dos agradecimentos
Recebestes conforme tocastes
Expresse sua felicidade
Bem vindas sejam as emoções
Da arte do tocar o presente.

Circule seu presente
Desfaça os laços
Assegure as fitas aos nós
Solte as fitas ao ar
Dance nas feiras semanais
Leva seu presente ao futuro.
.

terça-feira, março 24, 2009

Deus!

Obrigada por ouvir-me
Quando não sei mais o que falo; e
Em murmúrios ofereço minhas lágrimas
Jamais me manda calar.

Meu coração está parado
O tempo está estagnado
Espero somente sua ação
Não controlo nada.

Tens a chave do futuro
Abra-me a melhor porta
Desenhe os meus planos
Elabore os meus sonhos.
.

Morte

Ah! Quem me dera
Acordares.

Buscaria deste local gélido
Doaria meu sangue.

Friccionaria teu coração.
Aqueceria teu corpo.

Sopraria suas narinas
Doaria meu fôlego.

Untaria seus olhos
Na pontinha dos dedos.

Hidrataria sua boca
De meus lábios molhados.

Envolveria teu corpo
Nos ungüentos sagrados.

Enxugaria tua pele
Com meus cabelos anelados.

Comprimiria seus pés
Com as minhas mãos.

Deitaria ao seu lado
Escutaria seus mistérios.

Leria meus rascunhos
Escritos a você.

Retomaríamos nossos sonhos
Sairíamos a executar.

Como nada disso é possível
Convido a saudade a se retirar.

.

segunda-feira, março 23, 2009

Gosto quando te calas

Gosto quando te calas porque estás como ausente,
e me ouves de longe, minha voz não te toca.
Parece que os olhos tivessem de ti voado
e parece que um beijo te fechara a boca.

Como todas as coisas estão cheias da minha alma
emerge das coisas, cheia da minha alma.
Borboleta de sonho, pareces com minha alma,
e te pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.
E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.
E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:
Deixa-me que me cale com o silêncio teu.

Deixa-me que te fale também com o teu silêncio
claro como uma lâmpada, simples como um anel.
És como a noite, calada e constelada.
Teu silêncio é de estrela, tão longínquo e singelo.

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.
Distante e dolorosa como se tivesses morrido.
Uma palavra então, um sorriso bastam.
E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.
.
Pablo Neruda

sábado, março 21, 2009

O outro lado

Contam que ela não conhece o mundo do lado de lá. Ele é narrado pelos freqüentadores conhecidos do castelo. Todos vão e vem narrando suas histórias; que ela ouve atentamente. Ela se entusiasma a conhecer o outro lado. Para isso deve seguir o caminho das Princesas. Um cavalheiro deve ser introduzido. Não se tem outra conversa no castelo. Quem será o cavalheiro que vira?
.
.

sexta-feira, março 20, 2009

Medos Privados em Lugares Públicos


COEURS. (França, 2006). De Alain Resnais.
Sem preconceito o diretor traz questões de relacionamentos difíceis, infelizes e a busca frenética em encontrar o amor-par. Mostra a dificuldade de alguns ao realizarem suas escolhas e a maior dificuldade em libertar-se da escolha mal feita; fica explicito que a maior dificuldade é tomar decisões em deixar um parceiro que não mais se soma; não mais se amam. O filme discute o lugar espaço onde moramos onde compartilhamos nossos medos e sonhos; e algumas decisões tomadas por pessoas que compartilham com outro suas vidas; mas de forma tão insignificantes que não se somam. Vale a pena conferir.

LIBERDADE DA RAZÃO

Pensar já não adianta
Minha mente cansou
Pensa em círculos; não muda
Esta rodando como um CD riscado.

Quero libertar-me do pensar
Estacionar minha mente repetitiva
Soltar-me dos pensamentos
Deixar meu corpo ir sem pensar.

Gritar! Liberdade; a liberdade
Fluir como o próprio mar
Que meu limite seja meu próprio limite
Ignorar este mundo asneiro.

Loucos; loucos são esses passantes
Loucos por suas verdades
Mentem até seus amores
Amores brutais desleais.

Ilusionistas; sonâmbulos
Não acordam ao pôr do sol
Caminham impregnados
Impregnados por suas verdades.

Verdades; mentiras bem contadas
Amores prisioneiros delirantes
Maldito o fruto desses ventres
Espalhados contaminando a Terra.

Dissociados; delirantes da razão
Razão da mentira re-contada
Cantam com lágrimas aos olhos
A triste miséria vivida.


LaLuSol

quinta-feira, março 19, 2009

O amor

Magritt

segunda-feira, março 16, 2009

Transparência

O sol está brilhando
Os passarinhos voam;
Ora um ora outro; ora todos.
Sinto o cheiro das rosas
Posso tocá-las acariciá-las.
O vento passa lentamente
Fazendo as rosas dançarem.
Ouço brincadeiras de Amor.

Descalça na grama
Caminho massageando meus pés.
Dou liberdade ao tempo
Que paulatinamente vai se indo.
Minha memória está repleta
Da última imagem guardada.
Não sei diferenciar sonho da realidade.
Sei que estou aqui ouvindo uma melodia.
.

domingo, março 15, 2009

Quem Quer Ser um Milionário?

Jamal K. Malik é um jovem que trabalha servindo chá em uma empresa de telemarketing. Sua infância foi difícil, tendo que fugir da miséria e violência para conseguir chegar ao emprego atual. Um dia ele se inscreve no popular programa de TV "Quem Quer Ser um Milionário?". Inicialmente desacreditado, ele encontra em fatos de sua vida as respostas das perguntas feitas.
.

sábado, março 14, 2009

Lucidez da indecisão

Lentamente abro meus olhos. Fixo meu olhar.
Vejo-te, ouço seu som; emito minha voz.
Teu olhar, meu olhar se permitem.
A pavorosa solidão se esvai aos poucos.
Ouço sua declaração.
O que queres; não sei ao certo. Não sabes ao certo.
Sei que queres o querer. O que não sei.

Sei bem o meu querer.
Sentimos; o que sentimos; permitimos o sentimento.
Aonde sentes, se é que sentes; o que sentimos.
Sinto. A solidão que ficou. A moeda ao ar.
O chão se afastando; a moeda caindo.
Bem me quer, mau me quer; bem...
O pavor arranha meu sentimento. Lucidez.
Guardo a chave do sentimento
Fecho a janela da alma
Vivo, viverei sem a pavorosa indecisão
Do chão se afastando...
.

terça-feira, março 10, 2009

A vermelha


A rosa
Rosa vermelha
Decora meu lar
Enfeita minha alma
Simboliza minha existência
Traz a memória meus amores
Aquece o leito dos que se foram

.

segunda-feira, março 09, 2009

O leitor

O filme chama atenção ao amor adolescente, o encantamento pela leitura, a vergonha, o egoismo, a submissão às autoridades, o nazismo.
Visto pela primeira nos leva a muitos questionamentos, a segunda nos leva a se posicionar frente aos questionamentos.
.