Pesquisar este blog

terça-feira, dezembro 02, 2008

Balé

Degas

Algumas situações da vida nos paralisa; retirando-nos do balé da vida.É preciso dançar; bailar. Bailar com os competidores, com os adversários; sempre bailando. As vezes precisamos parar, sentar, meditar para em seguida retornar. A vida é um constante balé. Grandes perfomances. Somente quem não baila não sente as dores, as quedas as perdas. Continuamos treinando e no baile!

2 comentários:

Anônimo disse...

Qta verdade e sensibilidade!

Parabéns e vamos bailar o balé da vida, pois as perdas tbm fazem parte da composição e da harmonia da música. Ainda que as vezes precisamos parar, sentar, meditar e refazer as forças, o baile continua. O Supremo Maestro ainda não encerrou todos os atos da sinfonia e nossas leves e momentâneas perdas, não são para comparar com o peso da gloria que Ele nos reserva para o ato final e apoteótico da sua música!!!

Fique firme, o Supremo Maestro está com a batuta no controle de tudo!!!

Miguel

Elda disse...

Grazie!