Pesquisar este blog

domingo, agosto 20, 2006

Isolamento social

Hoje fui visitar um lar de idosos com uma amiga. Um lugar que me parecia muito frio. Todos pareciam ter um sorriso triste. Uma senhora saltitava dizendo que o domingo havia sido feliz buscava a todo custo mostrar felicidade. Um pouco de tempo que ficou comigo disse que lhe tiraram tudo o que havia, e que foi ao asilo passar um mês e já está lá nove meses.

Refleti muito sobre a vida e como as pessoas estão vivendo, visto que cada dia está se isolando, não se comunicam, não fazem uma rede de amigos. O que será delas no final da vida.

Há tempos atraz as pessoas sentavam nas ruas e trocavam experiências sobre suas vidas; hoje mal conhecemos o vizinho ao lado do nosso apartamento, nem sequer falamos bom dia.

Um outro dado dos nossos dias é a Internet e o Chat. Conhecemos as pessoas nós comunicamos, passamos horas com elas e às vezes elas se vão como se cancela um programa. Fato preocupante. As pessoas estão dentro de suas casas via Chat e no dia-a-dia não há diferença quando se precisa de qualquer auxilio real.

Aqueles velhinhos disseram não ter ninguém que se preocupassem com eles. O mundo está ficando deprimido como os velhinhos. Acredito que os laboratórios que fabricam antidepressivos estão enriquecendo, mas no fundo as pessoas estão precisando se relacionar... Temos um contigente de massa humana independente, não há trocas. Eu não me excluo!!! Qual seria a solução?

3 comentários:

Everett McGill disse...

I medicinali in genere curano l'effetto e quasi mai la causa... gli antidepressivi neanche quello... sono solo una finta via di fuga. Ma su su... non siamo ancora mica tutti macchine impasticcate

Everett McGill disse...

Allora... avevo detto che molti medicinali hanno il difetto di curare gli effetti e non le cause... gli antidepressivi non fanno neanche quello, cercano in qualche modo di rendere più intontito il tempo passato ...
Ma alla fine, non tutto è perduto su...ci sono ancora tanti aspetti della società molto positivi ancora

Elda disse...

Concordo em partes com tal ponto de vista, pois sabemos que os problemas sociais poderá levar ao individuo a ter problemas fisicos e psiquicos, obvio que a intervenção deverá ocorrer nestas duas vertentes.