Pesquisar este blog

sexta-feira, junho 23, 2006

Grande

Henri de Toulouse-Lautrec - The Kiss - 1892 –


Ouvi, o céu!

Dá ouvidos. Ó terra!!!

Eu o engrandeci…

Mas ele não me reconhece.

Fui deixada como tela no Louvre...

Vós Passantes!!!

De que me serve seus olhares?

De que me serve a multidão de elógios?


Estou farta desses elógios...

Não compareçam mais, se possível...

Não quero ouvir narrações abomináveis...

Não suporto mais.

Ele recolheu-se como o pôr do Sol.

Escondeu seus olhos de mim

Abandonou-me como se faz a prostituta..

Eu. Cheia de vida.

Cobiçada por tantos olhares...

Por que tu, que o engrandeci ti envergonhas?

Mercadores pranteiam meu valor...

Conservo-me longe...

Ouro, prata, pérolas, linhos, especiarias...

Há nada atribuo valor.

Tu Grande!!!

Julgarás o próprio ato.

2 comentários:

Amélia disse...

Belíssima.
Quem me dera saber expressar minhas emoções assim, de forma tão bela e universa.Cabe ao poeta expressar seus sentimentos e os dos outros em forma de beleza.É ele o demiurgo, criador e mensageiro dos males humanos a Deus.
Amélia

Elda disse...

Eu gosto de poesias e escrever... Não sei se sou poeta... Escrevo o que sinto, o que a vida me traduz, alguns sentimentos que percebo no outro... Enfim... Como disse a Clarice Linspector... Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa.
Adoraria dominar as letrinhas pra poder expressar tudo, mas acredito que nem tudo as palavras tem o poder de expressar...